jusbrasil.com.br
19 de Abril de 2018

Opinião: Entrelinhas Senado é STF! O descontente é contentado, o insatisfeito e o satisfeito

Comentários ao Caso Renan.

Renato Nascimento, Estudante de Direito
Publicado por Renato Nascimento
ano passado

Opinio Entrelinhas Senado STF O Descontente Contentado O Insatisfeito e o Satisfeito

Prega a constituição federal de 88, que o funcionamento dos poderes deve ser harmônico e independente (Art. CF/88), harmonia está que foi posta em cheque em um episódio que evidenciou um trágico desrespeito e imoralidade, por parte do Senado, após expedição de liminar solicitada pelo Partido Rede Sustentabilidade, é deferida pelo Ministro Marco Aurélio do STF, na qual afastava da Presidência do Senado Federal o senador Renan Calheiros, a mesa diretora do Senado, resolveu em um ato audacioso, imoral é inconsequente rejeitar e descumprir a decisão expedida pelo STF, de forma audaciosa o senado federal expôs em cheque o bom é harmonioso funcionamento dos poderes da república.

A inconsequência do ato pratico ora pela mesa do senado, deixou em vexatória a soberania da justiça, expondo em xeque como já mencionado a real harmonia dos poderes, não fez o senado como casa legislativa e nem o faz, à função de não só legisla mais sim a função de servi como exemplo é modelo para à sociedade, ressalta que com as últimas decisões que vem sendo tomadas por ambos dos poderes (Legislativo, Executivo, Judiciário), fica em evidencia o quão tanto o povo encontra-se carente de verdadeiros representantes, decisões como está tomada enfraquecem sem dúvidas a credibilidade não só da justiça, mas sim dos seus aplicadores, criando assim um senso de repulsa social, fazendo o povo aumentar devido as circunstancias não só diárias mais inconsequentes como está, aumentando assim seu desacreditamento em qualquer forma de Justiça.

Esperava-se do STF em julgamento do plenário reafirma a decisão de seu ministro, votando assim no mesmo sentido, pugnando pelo Afastamento do exercício da Presidência do senado Renan Calheiros, mais em um ato contraditório aceitou-se a submissão da desordem praticada pela mesa do senado, votando contrário ao próprio ministro da corte.

Decisão judicial não sé descumpre, sé cumpre! Contra a decisão judicial só cabe recurso, não sé espera posição diferente, ainda mais de um presidente de uma casa legislativa, se não a de aceitar a decisão, rejeitar é sim abrir um precedente para qualquer cidadão negar e rejeitar qualquer decisão que não o satisfaça, afinal o exemplo deveria vir de cima.

Ainda para mostrar o sarcasmo, em tom de ironia institucional o eminente “prisidente” do senado, afirmou um dia após decisão do STF que decisões judicias são para serem cumpridas, será isso uma ironia ou cara de pau.

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)